segunda-feira, julho 07, 2008

Eu só conseguia pensar naquela garota, os pensamentos iam do belo, do estranho ao sedutor, às vezes até ao erótico. Era uma pena que tudo desvirtuava pelo sinistro. Queria pedalar por ser engraçado. Se mantinha em pé por ser perspicaz. Mas aquele pedalar, naquele momento profundo a emoção era absoluta, uma necessidade incrível de cuspir tudo para fora. Incomum ao que poderia lhe causar tamanha repulsa, sem afeto e sem encanto. Ela era extremamente comum, uma garota que explodiu num gozo de angústia quase apocalíptico. Devastador. Sim, o amor devasta a mais forte das fortalezas humanas. Eu por mais que pedale nas mais intensas fantasias, nunca escapo da incômoda realidade de minha vida.

2 comentários:

Ana Carolina disse...

como eu já te disse, acho que você se superou.
parabéns.

Fernanda Mafra disse...

como o blogue tá diferente :D
parabéns, john, continue firme!

beijones